As dificuldades de alimentac¸ão em crianc¸as com fissura labiopalatina (FLP) são frequentes e surgem logo ao nascimento, devido ao comprometimento das func¸ões de succ¸ão edeglutic¸ão. A utilizac¸ão de métodos de alimentac¸ão adequados aos diferentes tipos de fissurae ao momento da vida da crianc¸a é primordial para seu pleno desenvolvimento.Objetivo: Revisar estudos que compararam métodos de alimentac¸ão para crianc¸as com FLPantes da correc¸ão cirúrgica e no pós-operatório.Método: A busca compreendeu o período entre janeiro de 1990 e agosto de 2015, nas basesde dados PubMed, LILACS, Scielo e Google Acadêmicos e utilizando os termos: Fenda Labialou Fissura Palatina e Métodos de Alimentac¸ão ou Aleitamento Materno ou Transtornos dedeglutic¸ão e seus sinônimos. Esta revisão sistemática foi registrada no PROSPERO sob onúmero CRD42014015011. Foram incluídas publicac¸ões comparando métodos de alimentac¸ãonos idiomas português, inglês e espanhol. Pesquisas com síndromes associadas, métodosortopédicos ou comparando técnicas cirúrgicas não foram incluídas.Resultados: Os três estudos revisados sobre o período que antecede a correc¸ão cirúrgicaapresentaram melhor desempenho na alimentac¸ão com três diferentes métodos: mamadeiracompressível, seringa e paladai. Um único estudo abordou o pós-operatório de fissura de lábioe/ou palato, apresentando resultados positivos para a alimentac¸ão com método com succ¸ão.Da mesma forma, no pós-queiloplastia os estudos mostraram melhores resultados com méto-dos com succ¸ão. Após a palatoplastia, dois estudos apresentaram melhor desempenho com viaalternativa de alimentac¸ão; um estudo com método com succ¸ão; e outro que comparou métodossem succ¸ão apresentou melhores resultados com colher.Conclusão: Os estudos mostram que, antes da correc¸ão cirúrgica, a utilizac¸ão de métodos alter-nativos pode apresentar benefícios. No pós-operatório de queiloplastia, os métodos com succ¸ãosão mais benéficos. Porém, no período pós-operatório de palatoplastia há divergências quantoaos métodos mais indicados.

Download protocolo